Arquivo da categoria: URIEL ABRIL

NA TERRA DOS HOMENS SEM AMOR….

NA TERRA DOS HOMENS SEM AMOR....

Na vida da gente, conhecemos muitas pessoas, e cada uma com sua particularidade, mais muitas com suas coisas em comum entre elas, e também conosco….

Certa vez vi alguém dizer que, as vezes as pessoas querem tanto alcançar o céu, que acabam tropeçando em pedras bem pequenas…

Pois bem, tem pessoas que passam a vida a reclamar de tudo, acorda de mau humor, briga a todo tempo com filhos marido pais, e vive se colocando como vítima de sua própria história…. Enquanto existem pessoas que não tem quase nada, e ao pouco que elas tem, se agarram e lutam por aquilo. Mesmo que falte a comida farta na mesa, existe a fartura de amor entre estas pessoas, mesmo que elas tenham que acordar as 5hs da manhã pra ir trabalhar todos os dias, e chegar as 18hs em casa, fedendo e suado, e com o sapato ou bota fedendo, são recebidas com um abraço, com beijos, e com um caloroso “vem meu amor, entra e senta que eu vou preparar seu banho, e enquanto você toma banho eu preparo sua comida…. Você tá bem meu amor? como foi o seu dia … vamos assistir seu programa favorito”. enquanto outras pessoas que não precisam trabalhar, acordam as 10hs da manhã brigando com todo mundo, se isola em um quarto, não conversa com sua família, vive na rua com amigos que seus pais se quer conhecem, ou simplesmente reclamam de tudo, não dão valor as coisas nem as pessoas…

O motivo deste post é dizer, quem está certo ou errado, ou quem é melhor do quem…. eu simplesmente sinto vontade de, neste momento, dizer que a vida é tão curta, tão intensa e tão incerta pra vivermos uma vida de amarguras, brigas e rancor . ..

É tão mais fácil construir pontes entre os corações do que muros para bloqueá – los…. E as pessoas preferem muitas vezes construir muros, se trancar atrás deles e se armar de todos os lados contra as pessoas que mais as amam, colocando estas pessoas na posição de inimigas, de chatas, enfim …

O mundo mudou, as pessoas mudaram, o tempo passou e continua passando, mais de uma coisa eu sei, é que amar o próximo, só necessita de boa vontade e prioridade de tempo pra se dedicar a estas pessoas.

Veja por exemplo sua mãe, que é a pessoa que mais ama voce, e muitas vezes você a tem como chata, pois é esta chata que fica acordada esperando você chegar de madrugada da rua, com preocupação, é esta chata que sabe que todas as vezes você vai desligar o celular ou simplesmente não vai atende – la quando estiver na rua, mais mesmo assim ela liga todas as vezes pra saber como você está e a que horas você vai voltar pra casa…

E estes pais, que vivem dizendo que seu filho não faz nada direito, que não estuda direito, que só faz tudo errado sempre… Talvez o problema não seja seu filho e sim voce.

Talvez ele faça as coisas errado por que voce nunca o ensinou como se faz, preferiu invés disso, aponta -lo e acusá -lo, e voce faz isto sem saber o mal que está fazendo pra ele, transformando – o numa pessoa revoltada, medrosa as vezes, ou mesmo uma pessoa sem atitudes próprias, sem auto confiança…. Enfim, apesar de todos estes exemplos citados a respeito de como as pessoas reclama da sua vida ou da vida dos outros por causa de quase nada, eu sei que muitas pessoas estão e continuam a sofrer por aí simplesmente por que não tem quem as dê amor, carinho, atenção… simplesmente por que as pessoas que se dizem boas, estão distantes demais pra lhes pegar pela mão e só dizer: – vem, eu ajudo você… Você está precisando de alguma coisa, quer comer ou beber?

para finalizar, deixo esta frase de K. Shulmann, que diz exatamente, e resume bem, o que eu disse acima: “Amar a humanidade é fácil, dificil é amar seres humanos!”

Continuar lendo

Publicado em 2012 NOS HORIZONTES QUE CIRCUNDAM, URIEL ABRIL | Deixe um comentário

O MENINO DAS MEIAS VERMELHAS

O MENINO DAS MEIAS VERMELHAS

Todos os dias, ele ia para o colégio com as meias vermelhas, era um garoto triste, procurava estudar muito, mas na hora do recreio ficava afastado dos colegas, como se estivesse procurando alguma coisa.

Os outros meninos (guris) zombavam dele, implicavam com as meias vermelhas que ele usava. Um dia, perguntaram por que o menino das meias vermelhas só usava meias vermelhas.

Ele contou com simplicidade: “No ano passado, quando fiz aniversário, minha mãe me levou ao circo. Botou em mim essas meias vermelhas. Eu reclamei, comecei a chorar, disse que todo mundo ia zombar de mim por causa das meias vermelhas. Mas ela disse que se me perdesse, bastaria olhar para o chão e quando visse um menino de meias vermelhas saberia que o filho era dela.”

Os garotos retrucaram: “você não está num circo! Por que não tira essas meias vermelhas e joga fora?”. Mas o menino das meias vermelhas explicou: “É que minha mãe abandonou a nossa casa e foi embora. Por isso eu continuo usando essas meias vermelhas. Quando ela passar por mim vai me encontrar e levará com ela.

CONY, 2000, pg 58.

Continuar lendo

Publicado em 2012 NOS HORIZONTES QUE CIRCUNDAM, URIEL ABRIL | 4 Comentários

De valor antes que seja tarde…

É por isso que se diz que, só dão valor a algo de valor, quando perdem… quer seja um patrão que perdeu um bom funcionário, um pai que brigou com um bom filho e não o deu atenção, o levando … Continuar lendo

Publicado em 2012 NOS HORIZONTES QUE CIRCUNDAM, URIEL ABRIL | Deixe um comentário

Breve História de Um Casamento – Por Adriano Uriel

Breve História de Um Casamento -  Por adriano Uriel S dos Santos

Mais uma briga, mais uma discussão qualquer por um motivo qualquer, e ela saiu de casa, chorando, pensando em como ela entrou nesse casamento e se depois de 7 anos, vale a pena dar prosseguimento nessa história que só machuca cada dia mais e mais….

Assim é a vida de Helena, uma moça de 32 anos casada com Alberto, um Rapaz de 35anos. Se conheceram na faculdade, numa festa entre turmas… Amigos em comum apresentaram um ao outro, e logo começaram a namorar…. Após 1 ano e meio de namoro marcaram o casamento …e após 7 anos estão querendo a separação. não tem filhos . .. O problema principal que motiva as brigas entre eles é, para Alberto, o fato de que sua esposa só vive triste e brigando, reclama de tudo e não sente mais prazer na cama… estando ao seu lado é como se estivesse só, segundo ele diz…. Para Helena, os motivos são principal de sua insatisfação no casamento é o fato de que ela teve que abdicar de sua vida profissional, do seu futuro, para se dedicar a este casamento. Hoje ela se olha no espelho e se pergunta por muitas vezes, onde foi que ela se perdeu. O que ela fez com sua vida, e chora muitas vezes por não ter conseguido realizar seus sonhos… sonhos de uma outrora adolescente sonhadora, hoje mulher casada e solitária…. assim é a vida de casado de muitas pessoas atualmente… não vivem um casamento..suportam se mutuamente tentando agarrar – se a um fio de esperança de que um belo dia algo de mágico acontecerá e mudará a situação, e quando se dão conta, estão enterrados um na vida do outro, que tudo que um faz é motivo de incomodo ao outro . … esta não é uma história com final feliz, mais quem disse que finais tem que ser sempre felizes? e quem disse que este é o final? …

(Adriano Uriel S dos Santos)

Continuar lendo

Publicado em 2012 NOS HORIZONTES QUE CIRCUNDAM, URIEL ABRIL | 4 Comentários

SENTADO NA ESQUINA DA VIDA

Lá estava ela, sentado no escuro pensando em todas as esquinas onde sua vida se perdeu. as pessoas tendem em algum momento de suas vidas a sentir uma nostálgica saudade que vem não se sabe de onde nem como, mais … Continuar lendo

Publicado em 2012 NOS HORIZONTES QUE CIRCUNDAM, URIEL ABRIL, URIEL MAIO | Marcado com , , , , | 2 Comentários